16 de out de 2014

Fonoaudiologia e Educação: uma parceria necessária



Prefácio
O ambiente escolar vem se constituindo historicamente como importante campo de atuação da Fonoaudiologia. As concepções teóricas metodológicas que norteiam a prática do fonoaudiólogo nas
instituições educacionais são diversas, conforme as perspectivas da Fonoaudiologia enquanto área de conhecimento que visa todos os aspectos da comunicação humana.
É fato que alterações relacionadas à audição, linguagem oral e escrita, fala, motricidade orofacial e voz interferem no processo ensino aprendizagem, bem como nas condições de interlocução comunicativa.
Ainda que a Fonoaudiologia esteja inserida na área da saúde, os conhecimentos específicos da formação do fonoaudiólogo se articulam de forma explícita com questões e demandas que emergem no sistema educacional. A prática fonoaudiológica é imprescindível nesse contexto.
Os autores do livro “Fonoaudiologia e educação: uma parceria necessária” demonstram nos seus estudos as diversas demandas e as competências com as quais esse profissional se depara na estrutura educacional, além de apresentarem como proposta a promoção da saúde fonoaudiológica neste contexto. Delineiam as diversas formas de atuação, com ações voltadas para a promoção, prevenção, avaliação, diagnóstico, orientação, monitoramento e habilitação das funções comunicativas de todos os atores envolvidos no processo ensino aprendizagem.
Aqui encontramos um trabalho valioso, que oferece não só atualização específica na área da Fonoaudiologia, como também esclarece a outras áreas de conhecimento a abrangência da atuação do fonoaudiólogo nas instituições educacionais. Ratifica também, o papel do fonoaudiólogo na função social e de cidadania da escola, contribuindo na construção da autonomia e na formação de seres humanos capazes
de assumir uma postura crítica e criativa perante o mundo.
Essa iniciativa do Conselho Regional de Fonoaudiologia - CREFONO3 sugere que o papel de um Conselho Profissional é muito mais que regular e fiscalizar a profissão. A criação de pontes que fortalecem a profissão e sua inserção nos diferentes contextos de trabalho evidencia o comprometimento desta instituição em solucionar temas de interesse da sociedade, além de garantir e defender o direito do profissional de dispor de preparação e conhecimento que lhe permita assumir responsabilidade social quando do seu exercício profissional.

Ana Cláudia Ferigotti
Conselheira Efetiva do Conselho Federal de Fonoaudiologia
Março - 2010
SUMÁRIO

1. Atuação fonoaudiológica nas escolas
Ângela Ribas
Maria Regina Franke Serrato

2. Critérios fundamentais para o diagnóstico fonoaudiológico dos distúrbios de leitura e escrita.
Cláudia Sordi-Ichikawa

3. Alterações vocais no aluno - Relato de caso em uma
Escola de Educação Infantil.
Ana Paula Pamplona da S. Müller

4. Professor: a voz da educação
Tânia T. Tozi Coelho
Lara Cristina Fernandes Castilho

5. Os distúrbios de comportamento no respirador oral
Maria Luiza Michelini Wippel
Simone Ferreira dos Santos

6. Percepção auditiva
Ângela Ribas
Thelma Costa

7. Inclusão escolar
Ione Lacerda L.M.Sanches

8. Fonoaudiologia, telessaúde e educação à distância
Josiane Borges

9. O ensino superior e a Fonoaudiologia no Brasil
Ney Stival
Jaqueline Medeiros de Mello

Para ter acesso à publicação completa clique no link a seguir:
http://www.sbfa.org.br/portal/pdf/iiioficina_referencia_educacao2012.pdf

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que achou?