No inicio, a criança precisa sugar para desenvolver suas estruturas orais, posteriormente, necessita mastigar para continuar este desenvolvimento e amadurecimento.
A mastigação é uma função condicionada e aprendida e, conseqüentemente, necessita de treino. Este treino deve começar logo que a criança começa a ingerir alimentos além do leite materno.
A consistência dos alimentos é muito importante para esse desenvolvimento. Engana-se quem pensa que quanto mais facilitar a consistência dos alimentos que oferece a criança mais o estará ajudando. Ao contrário, quanto mais os pais e cuidadores puderem oferecer alimentos com sabores e consistências variadas, melhor poderá ser o desenvolvimento dos músculos, ossos e dentes dessas crianças.

Desenvolvimento das consistências alimentares
1. Líquido (leite)
2. Pastoso (papinhas, sopinhas)
3. Sólidos (carnes, pães, cereais)

A criança necessita, fundamentalmente, mastigar para continuar tendo um bom desenvolvimento das suas estruturas orais. Aos dois anos, a sucção deixa de ter total importância para este desenvolvimento, podendo prejudica-lo.
É importante que a criança possua os dentes em bom estado de conservação e que não haja alterações quanto ao encaixe, para não prejudicar a mastigação.
No caso da criança ter dificuldade para mastigar algum tipo de alimento, o ideal é verificar porque ela não está conseguindo mastigar e não simplesmente substituir o alimento por outro mais fácil de ser mastigado.

Posicionamento da criança durante a alimentação

0 a 2 meses
Sentado no colo do adulto
Cabeça o mais elevado possível
Evita-se: dores de ouvido, engasgos

Depois dos 2 anos
A criança sozinha sentada apoiada,
Incentive a interagir com seus alimentos e os objetos ao seu alcance.





DICAS IMPORTANTES:
• Sempre que possível, oferecer pedaços de pão e de frutas para o bebê (a partir dos sete meses) “treinar” a mastigação;
• Dar preferência a alimentos mais consistentes e fibrosos, porque eles auxiliam e fortalecem os músculos e ossos da face. Ex: pão francês, frutas com casca, verduras, beterraba e/ou cenoura crua, carnes em pedaços, etc;
• Quando possível oferecer todos os tipos de alimentos: cereais, grãos, verduras, frutas, legumes, carnes, etc. Assim, a criança terá chance de conhecer e apreciar, desde cedo, os mais variados tipos de sabores, consistências e texturas;
• Quando a criança possuir sua dentição “de leite” praticamente completa (+- 1 ano e meio/ 2 anos), ela já poderá se alimentar com a mesma comida do adulto;
• Evitar substituir refeições por lanches, salgadinhos, bolachas e/ou leite ou vitaminas na mamadeira. Esses alimentos podem ser gostosos, mas não exigem da criança um esforço para mastigar e exercitar a região oral.

Comentários

Postagens mais visitadas