27 de jun de 2009

Desenvolvimento da linguagem - JARDIM I



ATIVIDADE N°1
Baixa dos Objetos:
Nessa atividade trabalha a linguagem oral, raciocínio lógico, atenção, conhecimentos e desperta no educando o gosto de aprender coisas novas.
Como brincar: o professor colocara numa caixa vários objetos do conhecimento das crianças e alguns poucos conhecidos, isso fará com que a criança adquira um maior conhecimento sobre o objeto apresentado. O professor vai perguntar sobre as utilidades do objeto. Quando a criança não souber responder as demais poderão ajudar, ou o professor. O professor deverá questionar bastante e com jeitinho fará com que todos participem.


ATIVIDADE N° 2
Brincadeira: cantiga de roda.
Nome: Viuvinha porque chora?
Nessa brincadeira trabalha-se o movimento e linguagem oral.
Objetivos: desenvolver no educando a expressão corporal, afetividade, atenção, concentração, movimento amplo do corpo e o gasto pelo brincar.
Como brincar: em círculo uma criança fica no centro do círculo agachado de cabeça baixa fazendo de conta que está chorando. As demais contam a música e no fim da música a criança que está no centro deverá escolher alguém e abraça-la a qual será a próxima viuvinha ou viuvinho.
Música – viuvinha por que chora teu marido já morreu sente falta de carinho se levanta e abraça eu.
OBS: A brincadeira termina quando todas participarem, pode acontecer das crianças escolherem as professoras, isso é muito bom.


ATIVIDADE N°3
Entrevista
Objetivo: Desenvolver a expressão oral e imaginação.
Descrição: Elaborar os fantoches de personagens com caras conhecidas,
por exemplo, da xuxa, homem aranha, etc.
em seguida começa a entrevistar as crianças ou vise versa.


ATIVIDADE N°4
Televisão
Objetivo: Desenvolver a capacidade de interpretação e comunicação.
Descrição: Colocar figuras de animais, insetos ou plantas. E coloque-os em cena.
Deixe-que, quando aparecer cenas todas façam perguntas sobre o que vem, e ou,
prof facilite as cça a perguntar:
O que é isso, o que esta acontecendo, etc?



ATIVIDADE N°5
O telefone
Objetivo: Oferecer oportunidades para a expressão oral e a comunicação.
Descrição: Dialogar com as crianças sobre as regras de saudação e conversação
pelo telefone. Em seguida peça a uma criança que chame outra pelo telefone e pergunte
a ela como vai, o que vai fazer, do que gostaria de brincar entre outros. Pode-se até fazer
o som da campanhia no telefone.


ATIVIDADE N°6
Cantinhos de Atividades
Cantinho A
Objetivos – manusear tubos e cores de papelão com tamanhos variados.
- conversar livremente, cumprir ordens; sentir texturas (duro ou mole) observar tamanhos, imitar vozes de animais e sons grossos e finos, leves e fortes etc; brincar de telefonar entre os colegas e professoras. Através de orientações e ordens dirigidas.
Material: tubos e cones de (madeira) papelão.

Cantinho B
Objetivos: Construir livremente casinhas, garagens, ruas, torres...usando a imaginação e a criatividade, ajuda mútua, partilha, conversação, orientação da professora, desenvolvimento a oralidade e a expressão. Interrogações: em cima, embaixo alto baixo.
Material: tocos de madeiras de varias formas.
Animais de plástico, carrinhos, objetos, tapetes, tiras de papel...

Cantinho C
Casinha: desenvolver a oralidade através da casinha das bonecas. O faz de conta; brincar de família; vizinha; tomar mate; trocar de nenê; lavar roupa; estender no varal; comidinhas; visitas; através de perguntas conversação.
Material: casinhas com as mesmas cobertas, com cobertor, colchão, bonecas, panos, prendedores, bacia, fio, xícaras, bolachas, cadeiras.

Cantinho D
Pingo mágico: Descobrir o desenho surpresa, identificar cores vermelho amarelo dobrar o papel em quatro partes, identificar o desenho dando-lhe o nome. Completar o desenho com partes que faltam e contar com ajuda das crianças. Fazer um grande circulo e cada criança mostras dos demais e contar o seu nome o que faz, o que come, onde mora, cor, tamanho, voz, n° de animais ou desenhos. Sempre ajudar as crianças através de interrogatório (repetição correta das palavras, nomes dos desenhos etc. Aplaudir cada aluno que representa seu trabalho. Exposição dos trabalhos no mural com o nome da criança e do desenho.


ATIVIDADE N°7
Incentivar os pequenos a cantar (5 dedinhos):
• Material utilizado: confeccionar mascaras de patos junto com eles. Cantar a musica diversas vezes, usando os dedos na contagem dos números, 5 crianças serão os patinhos, 1 a mamãe, 1 grupo de crianças irão cantar a musica enquanto isso os demais irão dramatizá-la. OBS: Nessa atividade todas as crianças usarão a mascara.
Objetivo da atividade:
• Desenvolver a oralidade;
• Estimular a linguagem oral;
• Desenvolver o raciocínio, atenção e concentração;
• Desenvolver a criatividade;
• Estimular a contagem;
• Interpretação;
• Estimular o faz de conta.


ATIVIDADE N°8
Saco surpresa
• Material usado: bolinhas de diversos tamanhos, potes, carrinhos, bonecas, etc.
Modo de jogar: colocar dentro do saco os objetos, pedir ao aluno que retire um objeto do saco falando o nome do mesmo aos seus colegas, sua utilidade, cor tamanho. Para iniciar a atividade os alunos deverão estar sentados círculo. Um aluno será escolhido para ir para o centro e os demais cantarão esta musica:
DA SACOLA MEUS COLEGAS
UM BRINQUEDO IRA TIRAR
PRESTAREI MUITA ATENÇÃO
PRA PODER ADIVINHAR (CIRANDA CIRANDINHA)

Objetivos da atividade:
• Noção maior/menor;
• Uso de cores;
• Atenção/concentração;
• Oralidade através da música.


ATIVIDADE N°9
Musica atirei o pau no gato
As crianças em circulo, canta-se musica, passando a bola, em quem parar o MIAU poderá imitar vozes de animal, esse animal pode ser solicitado pela turma ou professor, antes ser feito uma listagem de animal para a imitação da atividade, claro que oralmente. Também podemos trabalhar o lado contrario da cantiga que é: NÃO ATIRE O PAU NO GATO PORQUE O GATO É UM ANIMAL DE ESTIMAÇÃO.
Objetivos da atividade:
• Atenção e concentração;
• Ampliar o conhecimento dos educandos com imitações;
• O porque de cuidar dos animais;
• Conscientização sobre os cuidados com os animais.


ATIVIDADE N°10
Uso da linguagem
Objetivo: Promover o uso da linguagem com m determinado fim.
Recursos: Brinquedos.
Descrição: Peça à criança que chame as pessoas que estão em sua volta.
Motive-a a que peça a você os brinquedos que estão no alto.

Ensine-a a transmitir mensagens simples e a cumprir instruções simples: me dá o sapato. Dá pra tia a bola.


ATIVIDADE N°11
Classifique os objetos pelo seu uso.
Objetivo: enriquecer o vocabulário
Recursos: diferentes objetos, como uma caneca, um prato, uma jarra, uma boneca, um fantoche, fio, lã e tesoura.
- peça à criança que peque os objetos um a um, dizendo seu nome e para que servem e organizando-os de acordo com seu uso separando-os em duas caixas: coisas da cozinha e coisas de costura.

21 de jun de 2009

Atividades que promovem o desenvolvimento da linguagem de 0 a 1 ano de idade


.ATIVIDADE N°1
Boneco falante

Objetivo: Desenvolver a concentração e interesse pela interação verbal.
Recursos: O boneco favorito da criança.
Descrição: Aproxime o boneco da criança e faça-o falar e cantar em diferentes tons e timbres de voz. Utilize em algumas vezes uma voz suave e noutra uma voz grave.


.ATIVIDADE N°2
O nome dos objetos
Objetivo: Familiarizar a criança com os nomes de diferentes objetos.
Recursos: Diferentes objetos que sejam familiares para o bebê: Um boneco, uma mamadeira, um chocalho, os brinquedos que ela usa no banho.
Descrição: Coloque quatro ou cinco brinquedos em fila e peça-lhe para passar um deles, por exemplo, a bola.
Faça filas mais longas. Celebre as novas conquistas da criança.


.ATIVIDADE N°3
Serra-serra, serrador
Para brincar com as crianças coloca-se ela sobre o colo de frente ao professor, onde o mesmo transmitira ao aluno confiança e o afeto. Através da oralidade a criança experimenta o prazer e a necessidade de se comunicar.



.ATIVIDADE N°4
Massagem
Quando a pessoa que está realizando a massagem, conversando com o bebê, está desenvolvendo a linguagem oral e estimulando a lado afetivo da criança e assim havendo mais interação aluno e professor.


.ATIVIDADE N°5
Música
Ex: Olá, nome, bom dia nome, que bom que você veio gostamos muito de você.
Objetivos: Desenvolver a linguagem oral; pronunciar o nome dos colegas;


.ATIVIDADE N°6
Fantoches
- Dialogo do fantoche com as crianças;
Objetivos: Desenvolver atenção (concentração), desenvolver a linguagem oral e participar e interagir.


.ATIVIDADE N°7
Onde esta o bebê?
Objetivo específico: Promover o sorriso e a interação.
Recursos: Um espelho de parede e um cobertor.
Descrição: Coloque o bebê em frente ao espelho e cubra-o com um cobertor perguntando: “Onde esta o bebê?” quando ele responder, retire o cobertor dizendo: “Está aqui!”.

8 de jun de 2009

Desenvolvimento da Linguagem e suas Alterações

A aquisição da linguagem e da comunicação desenvolve-se segundo etapas de ordem constante, ainda que o ritmo de progressão possa variar de caso a caso; e segundo o processo normal do desenvolvimento, pode-se esperar uma variação de aproximadamente 6 meses. Esse desenvolvimento não depende unicamente de fatores maturativos, depende também do estado do repertório lingüístico; de suas capacidades potenciais individuais; dos fatores ambientais que interviram ou estão intervindo em detrimento do desenvolvimento da linguagem e das alterações de ordem emocional ou cognitiva que a própria criança tenha porventura incorporado de situações do passado; de uma relação adequada e efetiva com o ambiente familiar e escolar; do nível cultural da criança; como também, da estimulação ambiental prévia e atual.

Fatores que podem estar associados à evolução normal da linguagem:

Fatores orgânicos ou biológicos: de ordem genética, neurológica ou anatômica.

• Integridade do Sistema Nervoso Central – anoxia neonatal;
• Desenvolvimento intelectual normal – desenvolvimentos neuropsicomotor;
• Integridade do Sistema Auditivo – deficiência auditiva;
• Integridade dos Órgãos Fonoarticulatórios (lábios, língua, palato, bochechas, dentes)

Por exemplo, a criança fissurada. As primeiras interações sócio-afetivas, base da comunicação, podem estar sendo afetadas, pois essa malformação pode estar gerando efeitos sobre a mãe e essa quebrar o vínculo com seu bebê, podendo surgir temores, sentimento de incompetência, rejeição, até atitude de tolerância ou proteção excessiva. Por isso é necessário saber o estado psicológico da mãe e do grupo familiar. Além da fissura podemos também destacar a integridade do sistema auditivo, pois perdas auditivas geram problemas de linguagem e com esses, alterações psicológicas.


Os Fatores psicológicos podem aparecer sem necessariamente estar acompanhado de um fator orgânico: temos então, ansiedade devido à separação prolongada, rejeição ou superproteção materna e fatores emocionais e afetivos da criança. Esses fatores afetam a comunicação sócio-afetiva (primeira comunicação).
Fatores sociais: ambientes tensos de brigas freqüentes entre familiares. Existem também fatores que alteram os processos de transmissão / aquisição da linguagem, sem necessariamente comprometer a comunicação social e afetiva da criança. Nesse caso encontram-se atrasos devido a bilingüismo. Pode acontecer também da mãe ter medo de ter contato com o bebe e assim quase não o toca, não estimulando ele de forma adequada.
É preciso deixar claro que durante os 3 primeiros anos de vida da criança, o surgimento da linguagem possui uma relação muito estreita com a relação que ocorre entre a criança e sua mãe. Por isso a importância da estimulação e atenção dos pais.

Desenvolvimento normal da linguagem:

Existem quatro períodos em que a criança desenvolve a sua habilidade lingüística, sendo esses: Período Pré-linguístico (0-12 meses); Período de Desenvolvimento Sintático (12-30 meses); Período de Expansão Gramatical (30-54 meses); e Período das Últimas aquisições (a partir dos 54 meses).


(0-12 meses)
Habilidades de percepção; distinção de vozes humanas e reconhecimento do rosto materno.
Primeira comunicação – choro e sorriso reflexo
Procura fonte sonora.
Vocalizações começam a adquirir características de linguagem propriamente dita com ritmo, entonação e tom – balbucio
Usa gestos indicativos.
Compreensão de palavras familiares como mamãe, nenê, papai.

(12-30 meses)
Primeiras palavras funcionais – crescimento quantitativo de produção e compreensão.
Localiza fonte sonora – gostando de música.
Frases de 2 elementos (papai // aqui) e uso do NÃO isolado.
Primeiras interrogações: Que? Onde?
Compreensão maior que expressão.
Identifica objetos familiares através de nomeação.
Identifica partes do próprio corpo e logo, no outro.
Repete palavras familiares.
Tenta contar.
Seqüência de 3 elementos (nenê come pão) – fala telegráfica
Usa o nome próprio e gestos representantes.

(30-54 meses)
Grande ampliação do vocabulário.
Aquisição das regras gramaticais.
Imitações retardadas
Aponta cores primárias e identifica objetos pelo nome e uso.
Maior complexidade das frases interrogativas.
Uso de pronomes, verbos, conjunções e advérbios (mesmo havendo algumas confusões).

(a partir os 54 meses)
Aperfeiçoamento geral da linguagem, no entanto não chega a aquisição completa antes dos 7 a 8 anos aproximadamente.



Atraso da linguagem:


Entende-se como o não surgimento na idade em que deveria ocorrer.
Há muitas crianças de 3 a 4 anos que são conduzidas ao médico ou educador porque não falam. Múltiplos fatores estão em jogo e implicam sua ações de tal maneira que cada caso é um caso particular.
Algumas crianças apresentam um déficit da linguagem na pequena infância (2-5 anos). Durante esse período, elas usam a linguagem gestual acompanhado de sons que em geral possuem aparência de fonemas, gritos ou ruídos. A criança se manifesta através de mímica e conduz seus pais em direção do que quer, apontando o objeto desejado. Isso nos faz compreender a reflexão das mães: “meu filho não fala, mas compreende tudo”.
A ausência de linguagem pode fazer com que a criança não seja sempre compreendida, com isso pode se tornar irritada e/ou agressiva. Pois elas compreendem a linguagem falada ao redor delas e respondem por gestos, reconhecendo perfeitamente os nomes das pessoas, os objetos, as frases. Assim, esse atraso ou retardo na aquisição da linguagem gera problemas afetivos piorando ainda mais a evolução da criança.
É preciso ficar atento a outros aspectos, tais como a forma como a criança interage com seu interlocutor; se existem situações que propiciem a comunicação; se faz uso de comunicação gestual; se a linguagem é inteligível; habilidades motoras; desenvolvimento cognitivo e desenvolvimento emocional.